Smartphones LENTES ULTRA WIDE

Lentes ultra wide e teleobjetiva nos smartphones: qual a diferença

Nos últimos anos o modo retrato virou uma verdadeira febre entre os usuários de smartphones. Por esse motivo, alguns fabricantes estão apostando em trazer sistema de lentes triplas, quádruplas e, algumas vezes, até sêxtuplas para os seus aparelhos. 

Para que esse sistema de câmeras funcione adequadamente, a existência de alguns tipos específicos de lentes é fundamental, visto que cada uma delas apresenta formas diferentes – e até mesmo bem originais – de capturar as cenas. Estas diferenças proporcionam uma considerável variedade de pontos positivos e negativos entre os celulares que disputam espaço no mercado. 

Tal disputa é claramente percebida pelos inúmeros reviews de celulares disponíveis na internet, a exemplo do realizado pelo Tecmundo, no qual foi são apontadas as 5 melhores câmeras de dispositivos móveis para se comprar no Brasil (https://www.tecmundo.com.br/dispositivos-moveis/146190-5-celulares-melhores-cameras-voce-comprar-brasil.htm).

Dentre as lentes mais utilizadas pelos fabricantes estão as ultra wide e teleobjetiva. A seguir, você vai conhecer cada uma delas e entender o seu funcionamento, assim como o motivo que as leva a disputar qualidade com muitas câmeras profissionais. 

Quer virar influencer e bombar nas mídias sociais? Para isso você vai precisar de um bom pacote de dados! Conheça os Planos de Celular da TIM agora mesmo: MaisTim.com.br

Lentes Ultra Wide

Resultado de imagem para lentes ultra wide celulares

Fonte da imagem: https://www.tecmundo.com.br/dispositivos-moveis/131969-cameras-galaxy-s10-incluir-lentes-angulo-super-wide.htm

Também chamada de lente angular, a sua principal proposta é oferecer ao usuário um campo de visão bem mais amplo que o convencional, considerando aquele que é possível captar com os próprios olhos. 

Este tipo de lente é a preferida para as câmeras frontais, já que captam uma cena muito mais aberta, possibilitando o registro de todas as pessoas numa selfie. 

Apesar da sua clara vantagem quando o assunto é amplitude visual, algumas limitações são encontradas ao utilizar este tipo de lente. Uma das prinicipais é a dificuldade em capturar um zoom de qualidade, visto que sua utilização não é indicada para fotografar a longa distância.

Lente teleobjetiva

Resultado de imagem para lentes teleobjetivas celulares

Fonte da imagem: https://www.techtudo.com.br/noticias/2018/11/fotos-no-celular-como-funciona-a-lente-grande-angular-e-a-teleobjetiva.ghtml

Chamadas também de telephoto, estas lentes têm o principal objetivo de aproximar aquilo que está distante do usuário. Neste caso, o zoom ótico apresenta um resultado excelente, muito melhor que o zoom digital, diga-se de passagem. Isso tudo, porque a aproximação é feita através da relação entre a curvatura da lente e a distância do objeto a ser fotografado. 

Vale dizer que esta lente não só indicada para fotografar à distância, mas, também, para ampliar a captura de objetos, já que é capaz de mostrar os elementos numa relação proporcionalmente maior do que os olhos são capazes de captar por si só. 

Combinando lentes ultra wide com teleobjetivas

Para entender a estratégia na combinação das lentes ultra wide e teleobjetivas e diferença que isto faz quando o assunto é qualidade fotográfica, é fundamental compreender o que é profundidade de campo. 

A profundidade de campo, em simplificada explicação, é a relação de distância usada para determinar os planos de uma fotografia. É, justamente, na aplicação deste conceito que se consegue trabalhar com mais de uma percepção de foco. 

Isto, porque enquanto o elemento mais próximo ganha destaque por estar bem focado, os elementos mais distantes também aparecem na fotografia, porém, desfocados. 

Em razão do processo de abertura das lentes, nas câmeras profissionais, a fotografia com profundidade de campo é facilmente capturada. Nos celulares, por se tratar de um dispositivo consideravelmente mais limitado, esse processo depende da combinação de alguns elementos. 

Assim, o que facilita e permite a utilização da fotografia com profundidade nas câmeras de celulares é, justamente, a combinação harmônica entre as lentes ultra wide e a teleobjetiva, visto que a primeira possibilita a abertura do quadro na foto, enquanto a outra garante a percepção de distância e profundidade. Essa mistura possibilita uma foto ampla e mais mesmo tempo com uma riqueza de detalhes incrível.

Entendendo esta relação, fica fácil perceber o que leva os fabricantes a apostarem em celulares com câmeras múltiplas, combinando diferentes lentes angulares e objetivas. 

A evolução das lentes ao longo do tempo

É certo que as câmeras dos celulares estão evoluindo em um ritmo acelerado nos últimos anos, principalmente depois que a categoria dos smartphones foi ganhando espaço no mercado. 

Com destaque aos últimos 10 anos, as evoluções que merecem maior destaque são:

  •  O crescimento grandioso desde 2007 no número de Megapixel das câmeras;
  • A diminuição o considerável da abertura das lentes, o que reflete algo muito positivo, visto que quanto menor o número de aberturas mais luz é passada pelo sensor e mais claras ficam as fotografias;
  • O aumento significativo dos sensores, possibilitando que seja possível a captura de fotos muito mais bonitas e detalhadas;
  • O aumento do número de câmeras, o que significa uma clara evolução, visto que anos antes os usuários dos celulares se contentavam com uma única câmera traseira de baixíssima resolução. 

Não é para menos que as múltiplas câmeras nos smartphones viraram uma verdadeira febre nos últimos anos, aposentando, para muitos usuários, a antiga máquina fotográfica digital.